Quarta, 15 de Agosto de 2018
O Hulk e o nossos medos
O Hulk e o nossos medos
Fernanda Firmo

Sobre Fernanda Firmo
Psicóloga Clínica por amor e por acreditar no ser humano em toda sua potencialidade Formação em Terapia Sistêmica de Casal e Família, e Psicoterapia Junguiana. Atendo Crianças, Adolescentes, Adultos, Casal e Família


Neste momento você caro leitor deve estar se perguntando: O que existe em comum entre o Hulk e o medo? Antes de responder está pergunta gostaria de lhe convidar a conhecer um pouco sobre esses dois elementos.
O incrível Hulk é um dos personagens mais conhecidos e complexos das histórias em quadrinhos. Foi criado em meados dos anos 60 por Jack Kirby e Stan Lee. Na história original o personagem é o selvagem e poderoso alter-ego do Dr. Roberto Bruce Banner, um cientista que foi atingido por raios gama, enquanto salvava um adolescente durante um teste militar de uma bomba que fora desenvolvida por ele. Ao invés de perecer pela radiação, o cientista foi condenado a uma vida compartilhada com o seu lado mais obscuro, desta forma o Hulk passou a surgir toda vez que o Dr. Banner sentia muita raiva, despertando assim seu lado mais selvagem.
Já o “Medo”, é uma das principais emoções que sentimos no nosso cotidiano, presente em todas as etapas do desenvolvimento, com vários formatos e cores. Cada indivíduo possui medo de algo e se relaciona com ele de uma forma específica. Existe o medo natural, que é um alerta, um estimulo do nosso organismo em relação á algo. E existe um medo excessivo, que é aquele medo que prejudica as atividades do nosso cotidiano.
Recentemente a Marvel estreou sua mais nova produção: Vingadores - Guerra Infinita, neste filme alguns heróis (entre, eles o incrível Hulk) se reúnem para destruir o grande vilão Thanos. No início do filme é possível acompanhar uma luta entre Thanos e o Hulk, após muita tensão, o espectador vê a derrota do Hulk. Desde essa experiência com Thanos, Hulk se recusa a aparecer, explorando assim a ideia de que ele (um herói muito forte) também é capaz de sentir medo.
Pensando sobre nossa pergunta inicial é possível compreendermos que o medo muito grande torna-se patológico por corresponder a um alarme interno sem limite, prejudicando assim a qualidade de vida de quem o sente. Assim como com o personagem Hulk no filme, após uma experiência muito mobilizadora, nós também somos passíveis de não sabermos lidar com nossos medos e nos sentir impotentes diante de algo.
Existem pessoas que se acostumaram com a presença desta emoção, muitas vezes são asfixiadas e apáticas diante dele. Perceba o quanto que a consciência dos nossos próprios medos nos faz bem e o quanto ignorar algo que está presente em todo o ser humano, inclusive em nós mesmos, faz com que ele ganhe força e controle em nossas vidas.
No filme o personagem não foi capaz de aprender a lidar com seu medo e decide ficar escondido, deixando assim de vivenciar experiências significativas em sua vida. No nosso caso, se pudermos olhar para o nosso interior e perceber o que está por traz daquele medo específico ou o que ele tem feito em nossas vidas, conseguiremos dar luz e construirmos novos caminhos para nossas vidas.
Agora lhe faço alguns questionamentos:

Você tem visto seus medos?
Tem lidado como com eles ou os deixa assumir o controle de sua vida.

WhatsApp de contato Acajutiba News 75 9. 8126-6052


Atualizado em 29 05 2018

Drº Bressan Bonfim
Atualizado em 12 08 2018
Fernanda Firmo
Atualizado em 29 05 2018
Rogenis Dias
Atualizado em 13 07 2017
Ari, o iconoclasta
Atualizado em 13 07 2017
Aroldo Dias
Atualizado em 14 07 2017
Rede News Online 2011 - 2018 © Todos os direitos reservados - 19 usuários online - Páginas visitadas hoje: 9453