Sexta, 19 de Julho de 2019
Polícia Em Ação
6ªCIPM/CPRL promove seminário sobre violência doméstica e familiar em parceria com o CREAS
Imagem: Reprodução
Publicado em 06/06/2019

Nesta quarta-feira, 05, ocorreu o Seminário Sobre Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores do Município de Rio Real, com o objetivo de conectar a Rede de Enfrentamento. O evento foi idealizado pela Polícia Militar da Bahia, através da 6ªCIPM/CPRL, em parceria com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).

Os trabalhos foram iniciados com a composição da mesa. O Comandante da 6ªCIPM, Major PM Alan, juntamente com o Prefeito Municipal, Antônio Alves; a Promotora de Justiça, Drª Lara Leone; a Secretária de Ação Social e vice-prefeita, Joseane Guimarães; a Vice-presidente da Associação dos Agentes Comunitários de Saúde, Alcione dos Santos; Representando a Secretaria de Saúde, Pricila Baptista, a Gerente de Atenção Básica, Lorena Pires; representando o Delegado Jobson Lucas, a Escrivã Josineide Rebelo, e representando o Juiz da Comarca, Dr° César Augusto, a Senhora Claudiceia Reis. Logo após foi entoado o Hino Nacional Brasileiro e breves discursos sobre a importância da realização do evento.

Durante os dois turnos, manhã e tarde, aproximadamente cem pessoas, na sua maioria, Agentes Comunitários de Saúde, receberam capacitação de vários profissionais da Rede de Proteção: Polícia Militar e Civil, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Assistência Social, CREAS e CRAS. Palestrantes: Ronda Maria da Penha, Soldado PM J. Oliveira e a Subtenente PM Lucileide; Escrivã Josineide Rebelo; Advogado e Procurador do Município, Dr° Raul Francis; Enfermeira Noemi Santana; Assistente Social, Ana Clécia de Andrade; Psicóloga, Franciele Oliveira, e a Assistente Social, Daiane Santana.

Divididos em dois ciclos de paletras, seguidos de rodas de conversas. Onde o público interagiu com os palestrantes, sob mediação do Tenente da 6ªCIPM, Jorge Rodrigues, e da Coordenadora do CREAS, Sheila de Araujo. Vários tópicos da Lei 11.340/06 foram levados ao público: a origem e os conceitos; o atendimento pela autoridade policial; o acompanhamento das medidas protetivas de urgência ; Assistência Jurídica e os serviços do Sistema Único de Saúde e da Assistência Social destinados às mulheres vítimas de violência.

Foram trazidos dados importantes, como por exemplo, um terço dos inquéritos realizados na Delegacia do Município é referente à violência doméstica e familiar. Foi explicado as funções do CREAS e CRAS, apesar de ter as nomenclaturas parecidas têm funções próprias e definadas. Lembrado que existe um formulário de notificação a ser preenchido pelos profissionais de saúde, entre outros casos, de vítimas de violência doméstica e familiar, como também a existência da comunicação externa. Alguns mitos que existem em meio à violência contra mulher, como forma de reflexão, desmistificação e quebra de paradigmas. Os tipos de violência doméstica e familiar, polo ativo e passivo e os âmbitos que acorrem essa violência.


Por fim, o Major Alan comentou, " Os mais importantes, hoje neste dia, são aquelas mulheres que estão em suas casas. Com certeza uma delas está pedindo socorro. Portanto, o que nós precisamos fazer enquanto sociedade organizada é interferir e impedir que aquela mulher, aquela família continue sofrendo".

Concluindo que esse era o intuito de todos estarem reunidos, como uma rede, para com atenção pudessem reproduzir nos lares. Além de sugerir aos Agentes Comunitários de Saúde, ali presentes, levassem apoio às mulheres que estão lá no bairro, no povoado, na sua residência. Por mais longínqua que seja, apresentando-as à Rede de Proteção.
























Por: 6ªCIPM/CPRL: PROTEGER E SERVIR
Comentários
veja também
Rede News Online 2011 - 2019 © Todos os direitos reservados - 1 usuários online - Páginas visitadas hoje: 0