Sábado, 19 de Setembro de 2020
LUTO
Alcides Pereira de Aguiar: a trajetória de um pai, cidadão, amigo e político
Imagem: Reprodução
Publicado em 08/08/2020

Na última sexta-feira (7), o velho Ciba nos deixou para sempre. Levou consigo uma boa parte da história da nossa política e de uma caminhada pautada pelos serviços prestados ao povo de Acajutiba e a boa camaradagem.
Ciba, como era popularmente conhecido, nasceu em Aporá no dia 15 de agosto de 1935. Descendente de uma das mais tradicionais famílias da região, os, Aguiar, fixou residência em Acajutiba, no final da década de 1950, onde manteve comercio de confecções e miudezas, como eram chamados os armarinhos da época. No comércio militou até a década de 1970 quando entrou para a política se elegendo prefeito em 03 de outubro de 1972 e governando ate 15 de março de 1976.
Membro do grupo político encabeçado por Adauto Motta Brito e apoiado pelo antigo Líder José Correia de Aguiar, dito, Menininho Aguiar, a gestão de Ciba se deu em pleno Regime Militar e, diga-se de passagem, na sua fase mais recrudescida. Soube, com maestria, conduzir seu governo entre o ocaso do grupo e a repressão federal que cerceava direitos e garantias constitucionais.
Durante sua administração se deu a conclusão da Escola Municipal São Domingos, depois Colégio Estadual Professor Carlos Barros, e da Escola Municipal José Campos de Araujo (Escola da Sapucaia), também, na sua gestão se deram as primeiras vacinas em massa contra Varíola, meningite e Sarampo.
Pessoa afável e de bom trato. Ciba tinha uma característica pouco comum nos políticos da época e. ainda hoje: a amizade pessoal com pessoas de um e outro lado político, e como prefeito seu lado cidadão e prestativo à comunidade merece aplausos. Um bom amigo, fiel companheiro e correligionário a ponto de sua popularidade ajudar a eleger sua esposa, a Professora Maria Menezes de Aguiar como vereadora na legislatura 1983/1988. Merece destaque o seu empenho em auxiliar os mais carentes no encaminhamento para solução de problemas de saúde na capital Salvador. Valendo de farto conhecimento com autoridades médicas e políticas, ciba não media esforços em solicitar, transportar e acompanhar inúmeros pacientes para os cuidados médicos necessários, que não podiam prescindir de tal ajuda, que pelo conhecimento, e pelas custas financeiras. Podemos afirmar: Ciba ajudou a salvar muitas e muitas vidas.
Sempre atento aos movimentos políticos, ainda na década de 1990 se alia ao grupo político liderado por José Gustavo e Nên e emplaca sua esposa. Dessa vez como candidata a Vice-prefeita na chapa de Gustavinho, quando foram eleitos em seguida. Por consegue se eleger vereador por três legislaturas consecutivas, sendo, na primeira o vereador mais votado do pleito.
Era pessoa de fácil acesso e atencioso com todos que lhe procurava.
Ao lado da sua inestimável esposa, professora Maria Aguiar, ou Maria de Ciba, como é popularmente conhecida, Ciba soube fazer sua história, marcadamente como um esposo exemplar, um pai dedicado e um amigo extremoso.


Seu sepultamento se deu às (11:00)h do sábado (08) de agosto no cemitério de Acajutiba.
Ciba deixou quatro filhos: Adnalcí, Adelmo, Aroldo e Afrânio e quatro netos.
Na hora da saída do seu ataúde choveu aquela chuva fina, que os antigos costumavam alertar: quando morre um justo, há de chover para que se apaguem seus rastros.

Por: Prof: José Milton Ferreira
Comentários
veja também
Rede News Online 2011 - 2020 © Todos os direitos reservados